Buscar
  • Alejandro Francisco Rubio

VIVER É COMO SURFAR


Nunca gostei de surfar.... HUM! Para aí...  Nunca tive coragem para surfar, no máximo cheguei a velejar um tempo num saudoso classe Penguim de nome “Danubio Azul” pela forma garbosa como se movimentava. Ah!!! tempos de ouro da juventude que não vão voltar... Meu filho já gostou de surfar e teve a coragem para enfrentar as ondas e os perigos do imenso mar. Realmente, tem que ser corajoso para enfrentar o elemento maior do nosso planeta, por tanto o mais poderoso e perigoso. Mais tem uma raça de gente que sempre me chamou a atenção pela coragem: marinheiros, surfistas e mergulhadores. Hoje estiva na academia assistindo um canal de surf e unindo a minha admiração pela coragem e destreza, com minha reflexão desse ato valoroso, cheguei a conclusão que se enfrentamos a vida e seus perigos como os surfistas enfrentam as ondas do mar, nunca vamos a perder nem uma batalha da vida. A matéria era sobre como os campeões (por tanto iluminados) conseguem enfrentar qualquer onda, seja ela irregular e por tanto perigosa, ou que obedeça a um padrão determinado e por tanto pode ser encarada com uma técnica certa. Seguindo os passos de uma das lendas do surf, tomaram conhecimento que todos os dias ele parte solitário na busca da melhor onda, situação que o faz rodar muitos quilômetros até sentir um novo desafio. Um surfista com classe mundial consegue enfrentar qualquer onda, não importa o tamanho, a violência ou a forma ameaçadora que ela demonstre. É incrível ver que depois da quebra monstruosa da onda ele ainda está de pé, e o melhor de todo, ele está sorrindo, adorando. Pensei em como as ondas da vida nos castigam, como o sofrimento está expresso na alma de cada um de nós. E fiz um paralelo. O surfista pega sempre a onda tentando tomar impulso com ela, ou seja, ele sempre fica na posição de vantagem. Um bom surfista sabe como ela chega, pois além de prestar atenção aos ventos e marés, conhece profundamente o leito submarino, sabe então onde ela vai quebrar e demonstra engenho para continuar sempre na crIsta da onda  numa dança que parece não ter fim.

Lembrei que a vida tem um fluxo, determinado pela interação de nossa mente racional em conjunto com a irracional ou subconsciente. Quando ajusto os meus atos (a minha evolução pessoal) com as necessidades do universo (a evolução da sociedade e do universo), estou na direção principal da maior força do universo, a evolução me carrega junto e estou no fluxo. Estar no fluxo quer dizer que trânsito livremente pela vida com leveza, nesse instante sinto que a vida é leve e que posso tomar impulso em qualquer acontecimento. Posso aprender a técnica com os surfistas, cada onda é um acontecimento novo, se eu souber como pegar a onda, vou sair dela com um novo impulso que me projeta na vida numa posição de vantagem. Não tem ondas impossíveis, elas são apenas oportunidades. A vida não apresenta problemas, apenas oportunidades. Você pode se deslizar suavemente pelas ondas da vida e entrar no fluxo, quando ele te carrega é inevitável aquela sensação de leveza. Tudo dá certo na minha vida, depende de conhecer os elementos que intervêm e de saber como tirar proveito de cada onda da vida.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo