PRINCÍPIOS NATURAIS DE SOBREVIVÊNCIA

Princípios naturais de sobrevivência

Estes princípios são comuns a toda natureza viva: plantas, animais e seres humanos. Todos os seres com vida buscam sobreviver, cada qual da sua forma, dentro de sua espécie. Quando a vida está ameaçada, produz a insegurança, a dúvida e o medo.

 

Lei de sobrevivência do indivíduo

Todo ser vivo nasce para viver; mas, para viver, antes é necessário sobreviver. Essa lei é a mais forte de todas para os seres vivos. A planta, ao romper a semente, toma duas providências: uma é estender a raiz no solo para alimentar-se; e a outra é o estender uma folha ao alto para respirar.

São as primeiras manifestações de vida, mas também as manifestações da força e da dinâmica da vida do ser em busca da garantia de sobrevivência.

Esta lei se manifesta pelos impulsos de fome, de sede, da defesa. Sendo evidente que nenhum indivíduo ataca, todos se defendem, nem que seja de um perigo imaginário.

“Ninguém ataca, só se defende. Defende-se como pessoa, como família, como espécie... de tudo e de todos que representarem uma ameaça à sobrevivência.”

 

Lei da sobrevivência do ser único

Somos todos diferentes um do outro, não há ninguém igual a ninguém. Essa informação natural esta registrada no subconsciente de todo ser humano e impulsiona-o a querer ser alguém a vida, único e diferente de todos os outros.

Na prática de uma família, ou na relação pais x filhos, os filhos não admitem ser cópia dos pais. E mesmo os irmãos não gostam de ser cópia um do outro. Por isso, agridem tanto comparações entre irmãos! Por que você não é organizada(o) como a sua irmã(o)?...É por isso mesmo, para ser diferente dela(e). Fazer esse tipo de referência, acaba somente reforçando a diferença entre as duas/os dois.

Ser diferente, a princípio, não é ser nem melhor, nem pior. É ser único! 

Lei da sobrevivência de espécie

Esta lei se manifesta de duas formas: A garantia da sobrevivência da espécie no espaço, e a garantia da sobrevivência da espécie no tempo.

A garantia da sobrevivência da espécie no espaço é um reflexo do que acontece com animais e plantas, muitos deles se reúnem em grupos para sobreviver, para serem mais fortes, exemplos disto são bananais, pinheirais, corais, palmeirais, e os animais em matilhas, manadas, cardumes e bandos.

O homem é um animal social, não sobrevive em solidão, ele já é dependente desde o nascimento, e traz gravado em seu subconsciente a necessidade de ter alguém por perto. Grupo familiar, tribo, vila, cidade, região, estado, são exemplos históricos da necessidade do homem de se unir; ter respondido a este princípio ajudou na sobrevivência e criou a cultura, a qual colaborou com informações grupais para elevar a sobrevivência da espécie.

A garantia de sobrevivência no tempo ocorre pelo relacionamento sexual dos seres vivos. O homem é o único animal que não precisa do cio para manifestar seu desejo sexual, sendo o único dentre todos que possui um longo tempo de dependência para amadurecimento, sabemos que esse desejo sexual permanente, tem ajudado a manter coesa a célula principal: a família.

DEPRE.jpg
filho mais feliz.jpg