HISTORIA DA PARANORMALIDADE

Através dos séculos, o ser humano buscou responder suas interrogações de várias formas segundo os critérios, condições e conhecimentos que possuía, dentro da cultura da civilização da época em que a resposta foi elaborada.

Os homens da antiguidade respondiam suas interrogações de uma forma intuitiva e mágica, já que os fenômenos existiam. A existência de bruxos, feiticeiras e magos, adivinhos, pessoas que dizem ter a capacidade de localizar objetos perdidos ou pessoas desaparecidas; pessoas que curam e que provocam, enfermidades é tão antiga quanto a existência do ser humano.

Hegel: afirma que a magia existiu em todos os tempos e em todas as épocas. O mago utiliza-se de fórmulas ocultas; mágicas para responder as questões.

A essência do mágico afirma Jung – é “forçar” a presença do divino.
Num segundo momento da história da humanidade o ser humano busca explicações às suas questões através das religiões e, bem mais tarde, através da busca de explicações científicas; nasce a ciência.

Bruno A. L. Fontoni: diz que tanto a magia quanto a religião afirmam a existência de um mundo paralelo, invisível, povoado de seres inteligentes, em constante interação com o mundo visível. Que os homens compartilham.

A magia na pré-história:

a) Paleolítico inferior – não se tem registros.

b) Paleolítico médio – (+ 90.000 a.C.) registros das primeiras atividades mágicas.
Acreditava-se que o homem prolongava sua vida num mundo invisível (ritos).

Sonhos – Expressões em cavernas – Pedras – Desenhos – Plantas e animais – Acreditava-se que qualquer ação sobre a imagem do animal repercutia sobre a futura presa. Ex.: cerimônias da caça…

c) Paleolítico Superior – (+ 30.000 a.C.) elaboraram-se religiões de base emocional – onde o sobrenatural está confundido com o natural e o homem pode passar de um para o outro.

Nesta fase, surgem as primeiras formas de expressões de arte, canto, dança e música que atuavam sobre a disposição dos seres sobrenaturais.

Surge a crença que o homem morre e não volta mais: a comunicação com os espíritos dos mortos através de uma qualidade (de origem divina) possuídas pelos feiticeiros e chefes…

Aprimora ritos de caça e guerra: Deus – Totem – Símbolo.

– Animal/vegetal – os homens dependem dos deuses – ato de procriação – auréola mágica (criador da vida).

Ritos da puberdade/fecundação – os mais antigos testemunhos que a história possui são tábuas escritas (Suméris) – Mesopotâmia – embora o Egito seja considerado terra dos mistérios.

 

Na Antiguidade

Magia e religião andavam unidas, se confundiam. Só se diferenciavam em seus rituais.

MESOPOTÂMIA – (+ 5.000 a.C. ) foram exterminados pelos Persas.
Antiga mitologia caldéia – Livro da criação.
ANU – Deus do Céu – SHAMASCH – Deus do Sol – ENLIL – Deus do Vento – ENKI (EA) – Deus das Trevas (magia) – TJAMAT – Deus do Caos (demônio cristão).

Acreditavam que primeiro apareceu o céu, vento, trevas, caos, depois DEUS – BEL MARDUC (Deus da criação) ® Destino do homem é traçado pelos deuses BONS – MAUS.

CALDEUS – origem da magia branca e magia negra

• Noções de vida após a morte;

• Lenda dos vampiros;

• Necessidade de conhecer este destino já traçado (pelos deuses) através de práticas adivinhatórias.

• Astrologia – conhecer o futuro rei – povo – conhecer o segredo dos corpos celestes
Bem/Mal – pessoa – do sol e das estrelas.

• Zigguats – (Torre de Babel) – observatório astronômico.

• Oráculos dos Sonhos: mensagens dos Deuses – que os sacerdotes interpretavam.

• Outras técnicas:
– aruspícios – vísceras animais (fígado);

– filamonancia – movimento dos ramos das árvores;

– auspício – vôo das aves (falcão – corvo);

– hidromancia – mais tarde utilizada também pelos gregos e romanos e por Nostradamos;

– belomancia – direção das flechas.

GRÉCIA – (+ 3.000 até 1.400 a.C.) – os filósofos da antiguidade acreditavam na magia.

Sócrates – admitia-se que possuía um espírito familiar – “damion” – que lhe informava sobre o futuro.

Plutarco – afirmava que os espíritos respondiam através de espirros.

Platão – uma voz me aconselha a empreender alguma coisa. O mundo é mágico – é um mundo das idéias.

Aristóteles
Pitágoras – afirmava que os números são anteriores a matéria, por conseguinte mais poderosos.

– a adivinhação institucionalizada (templos e sacerdotes);

– os oráculos – Delfos e Pythia;

– a adivinhação não institucionalizada ® as sibilas.

Idade Média – (1453 d. C.) – com os imperadores romanos cristãos, a magia antiga e a religião pagã pareciam Ter morrido.

Sec. V – VI – Teodosio II – a religião oficial se impôs e proibiu terminantemente práticas mágicas.

Magia condenada pela igreja – os bruxos eram temidos pois eram adoradores do Satanás – anticristãos.

Mais tarde a magia branca é “permitida” para fazer o bem.

A magia negra ou bruxaria – do mal – Lúcifer.

– o Sabat – ritos mágicos de culto demoníaco onde os bruxos se reuniam com os demônios.

– Evocação dos espíritos dos mortos – e estes respondem perguntas.

– A bruxaria foi proibida – parece que por isso mesmo aumentaram os poderes de Satanás.

– A bruxaria – sua prática – foi considerada heresia.

Sec. XIII – pluralidade dos demônios – bons e maus.

– Para Gregório IX – 1233 criou um tribunal chamado de INQUISIÇÃO – para investigar pessoas que fizessem pacto com SATANÁS.

– Em 1484 – Papa Inocêncio VIII – elaborou nova bula onde os bruxos, seriam perseguidos, julgados e executados.

– Em 1376 – foi escrito o “Guia para os Inquisidores”. Calcula-se que de 1575 a 1700 foram executados um milhão de pessoas.

Nesta época, houve uma epidemia de endemoniados e vários conventos de padres e freiras foram visitados… achavam-se possuídos.

– Alemanha – dança de São Vito – praticava-se canto e exorcismo.

– Itália convento dos Padres Capuchinhos.

– França – convento das Madres Ursulinas.
Práticas de exorcismos era definido pela igreja e poderia ser praticada por soberanos e chefes da igreja.

Reis famosos:
– Eduardo – o confessor – curava através de toques;
– Adriano Olavo – Noruega – “Santo Rei”;
– Carlos III – Inglaterra.

1493 à 1541 – Paracelso ® médico – antropólogo, teólogo, alquimista, cabalista, místico e grande mago disse:
“A imaginação e a fé são capazes de modificar estados patológicos, atuando sobre todo o físico”.
Por esta afirmação foi excomungado e perseguido.

1776 – MESMER (Friedich Anton) – alemão – faz medicina em Viena – descreve a influência dos planetas na cura das doenças. Há um fluído universal com poderes magnéticos – atuam sobre a matéria viva (no sangue e sistema nervoso).

  • Denominou-se “mesmerimo” o fenômeno de curas magnéticas.

  • Magnetismo animal – começa usar ímã nas suas terapias (princípio – emanação – fluído).

  • Começou a usar uma tina d’água com ferros onde as pessoas seguravam e as curas aconteciam.

  • Deu início ao processo de sugestão e hipnose.

  • Observou que as pessoas mesmerizadas (de olhos fechados): localizavam objetos escondidos; faziam leitura de pensamentos; previam futuro; faziam diagnóstico de doenças; prescrições terapêuticas.

1880 – Comissão de cientistas, de sábios da época, fecharam a clínica onde atendia, acusando-o de charlatão… mais tarde volta à Alemanha e morre.

 

Renascimento – Século XV e XVI
Surgimento das ciências ocultas – a comprovação de que muitos fenômenos eram produzidos por causas invisíveis (os magnéticos) e que estes vinham de um mundo invisível.
As principais ciências ocultas que os magos naturais praticavam: a cabala, a alquimia e a astrologia. A alquimia foi estudada por São Thomás de Aquino.
Os alquimistas procuravam a Deus pelo conhecimento das forças que ELE pôs na matéria.
Todos os metais compostos somente no grau de composição.
Pode-se passar de um metal a outro, mediante sucessivas transformações.

 

Idade Moderna – Séculos XVII e XVIII

Crédito ao pensamento científico. Surgiram as Sociedades Secretas para difusão das novas doutrinas políticas. Nesta época, aparecem:

  • Os Rosacruzes – interpretavam a bíblia segundo as regras cabalísticas.

  • A Franco-maçonaria – nasceu da rosacruz que estaria se dedicando ao estudo da natureza, ocultando o seu objetivo real.

  • O satanismo – adoração a Satã.

 

O ESPIRITISMO
A crença na possibilidade de comunicação com os espíritos mortos é muito antiga.
+ 1851 – O espiritismo moderno – nasceu nos Estado Unidos com : LEÃO HIPÓLITO DENIJARD RIVALL – pseudônimo – ALLAN KARDEC – escreve O LIVRO DOS ESPÍRITOS.
Afirma que seres invisíveis podiam, servindo-se da matéria dos “médiuns”, mover objetos, dialogar com seres humanos, materializar pessoas ou coisas.
Existe uma comunicação entre as pessoas desencarnadas e as pessoas desta dimensão.
O espiritismo vai valorizar o paranormal como médium – cada médium possui um espírito guia.
Conforme os espíritas, todas as suas afirmações podem ser comprovadas empiricamente em suas sessões mediúnicas, utilizando o rigor do método científico.
1869 – Sociedade dialética de Londres composta de 33 membros, reúnem-se para estudar estranhos acontecimentos. Inicia-se aí a Fase chamada científica da Metapsíquica.
1927 – Universidade Duke (departamento de Psicologia) – Psicólogo famoso – William MC DOUGALL – (veio da Inglaterra) Oxford – interessava-se pela investigação dos fenômenos paranormais.
Rhine – Joseph Banks – já se interessava por fenômenos paranormais – vão a Duke – com a chegada de John F. Thomás – trazendo um material reunido em sessões espíritas para serem analisados.
John F. Thomás – havia morrido sua esposa. Procurou o Sr. Gladys O. Leonard – Londres – disse coisas que impressionaram muito o marido – várias sessões.

– continuação das investigações sobre os poderes dos médiuns a nível Universitário.

– Levantando material para análise.

– Outros paranormais foram estudados e Rhine concluiu que não tinha como verificar se o conhecimento dos fatos vinha dos seres desencarnados.

– Chamava-se investigação Psíquica – ou Metapsíquica – e vai investigar a possível existência – meios, de uma faculdade de informação sem intervenção dos órgão dos sentidos.

– Adotou-se a dominação de “Parapsicologia” – Investigação.

– Percepção extra-sensorial – para o fenômeno a investigar.

– Aceitaram-se apenas os fenômenos produzidos nas instalações do laboratório – com controle completo de todas as variáveis.

– Recorreu-se.
1930 – Zenner – esboço do material experimental (cartas).
1940 – período de ouro desta ciência.
1937 – primeiro laboratório de parapsicologia:
– realizou-se 2.966.349 ensaios de telepatia;
– PES – 497.450 acertos – 31,50% – 20%.
– PES – 907.030 – Precognição 30% – 19%
– Dr. S. G. Soal – (matemático – Universidade de Londres)
– Basil Shackleton – fotógrafo.
– Repetiu-se as descobertas de Rhine – melhorou-se o número, acrescentou-se a pré-cognição.
1939 – Congresso de Psicólogos (Ohio) – julgou a validade científica.
1949-50 – lança hipótese – atuação da mente sobre a matéria (psicocinesia).
1950-70 – ampla divulgação dos trabalhos (livros, conferências).
1953 – 1ª Conferência de Estudos Parapsicológicos em Utrecht – Holanda.

Alejandro Francisco Rubio - Hipnoterapeuta e Parapsicólogo Clínico. Presidente da ABPSIG (Associação Brasileira dos Parapsicólogos Clínicos do Sistema Grisa) sob o número 586. Atende na rua Frida Oertel, 6 - Mercês. Curitiba - PR.

Também faz atendimentos on-line, com a mesma eficácia do atendimento presencial.

Contato                  (041) 998093548 

    

                                2020 por ALEJANDRO RUBIO

 

Sou Hipnoterapeuta e Parapsicólogo Clínico do Sistema Grisa. Minha especialidade é trabalhar com todos os conteúdos baseados no poder da mente humana. Quando você tenta fazer uma coisa e não consegue o resultado desejado, é porque está atuando a tua mente subconsciente, a qual deseja apenas te proteger!

Somente a compreensão da forma do funcionamento da poderosa mente humana pode te levar aonde você deseja. Nos meus escritos e vídeos uso estes conhecimentos para te orientar na direção de conseguir manifestar no mundo real, todo o que desejes no mundo interior.

O mundo exterior é sempre uma projeção do mundo interior.

  • LinkedIn ícone social
  • YouTube ícone social
  • Facebook Black Round
  • Instagram - Black Circle